terça-feira, março 06, 2007

Os anos de aprendizado e as viagens de Wilhelm Meister - Goethe

Eu concordo que Goethe é um dos grandes marcos da literatura mundial e que todos deveriam ler ao menos uma de suas obras, ele é um autor profundo, com grande erudição e a par das idéias mais importantes do século XVIII, mas, talvez por isso mesmo, ele se torne um tanto quanto cansativo para nós, leitores mais preguiçosos e acostumados com leituras mais leves. Não é por falta de persistência, li As Afinidades Eletivas e Os Sofrimentos do Jovem Werther em diferentes períodos de minha vida, fui até o final do Wilhelm Meister, com suas centenas de páginas, mas não acho Goethe um autor muito atraente para os tempos atuais. Quando tinha 14 anos, talvez pudesse ter aproveitado mais, apesar de não compreender todas as discussões sobre arte, moral, educação, etc., tecidas ao longo da história, mas teria gostado do enredo: um jovem que pretende seguir seu próprio caminho e perseguir seus sonhos. Este é Wilhelm, ele deixa sua família e sua vida burguesa para procurar realizar seus sonhos, entra para um grupo de teatro e se torna ator, mas logo percebe que seus sonhos não são tão cor-de-rosa e que aquilo ao qual dava tanto valor, não é assim tão sublime. Ele se desilude, sofre, encontra pessoas que lhe apontam novas possibilidades e ideais de vida. Estes são os anos de aprendizado de Wilhelm. O segundo livro, Os anos de viagem, é bem desigual, mostra Wilhelm procurando educar o filho que lhe deixou uma mulher pela qual ele se apaixonou na juventude e também procurando educar-se e tornar-se um membro útil da sociedade. Ao contrário do primeiro livro, que é uma narrativa contínua, agora, estamos frente a várias cartas e histórias narradas ou apresentadas a Wilhelm nos lugares pelos quais ele passa. Acho o primeiro livro melhor.
Recomendo para todos aqueles que têm interesse no século XVIII. Ele não é leve, não é fácil, mas sempre há algo a aprender, além do mais, quem sou eu para dizer que Goethe é chato? Talvez nós é que tenhamos ficado superficiais.



8 comentários:

miki w. disse...

karen, acho q eu teria preguiça (rs)! imagine, se vc teve, que dirá eu???

interessante a história de wilhelm, não? tive a impressão de que me veria refletida em sua narração por muitas vezes, afinal, a vida tem muito disso, da construção do sonho, e da posterior descoberta de que não era bem assim. mas o bom é que sempre se pode sonhar novamente, uma esperança que nunca se apaga...

beijinhos, miki

Karen disse...

As boas histórias sempre tratam de temas universais... Sonhar e se desiludir faz parte da vida...

valentina disse...

Nunca li nenhuma obra de Goethe. Talvez me aventure devido ao teu texto ,funny enough. Quando comecei a ler a história do W. me veio a mente Sidarta.Mas ja li ha tantos anos, um grande favorito da minha mae.Gosto do angulo positivo da MIki - acho que estou endurecendo com a vida.bjocas

Karen disse...

Valentina, eu também tenho essa impressão, de estar endurecendo com a vida, mas acho que é assim mesmo, tombos, cicatrizes, a casca fica grossa...

Anônimo disse...

Oi Karen, acabo de ler Os anos de Aprendizagem e busco As viagens de Wilhelm Meister (ou como já li por ai: Os anos de peregrinação de Wilhelm Meister).
Acho que será interessante ver Meister ampliando o palco de seu aprendizado (e atuação) para o mundo...
A imagem que você colocou no blog é de uma edição alemã dos dois livros, você conhece alguma edição de As viagens... em português?

Quanto a Os anos de aprendizagem... Gostei muito, achei cansativo o capítulo VI "As confissões de uma bela alma", mas talvez esse fosse o objetivo... Fiquei também muito bravo porque o Mazzari conta na introdução (ed. 34) como funciona a "Sociedade da Torre" tirando a surpresa.

Para quem quer ler o Meister aconselho antes ler o Hamlet de Shakespeare.
Após a leitura do Meister vale apena dar uma lida no posfácio do Lukács (tem na edição da 34 e na da, infelizmente extinta, editora Ensaio).
Encontrei em um sebo um livro que parece ser bom (Cia das Letras), chamado Goethe do Pietro Citati que relaciona a vida de Goethe com Os anos de aprendizado e Fausto 2ª parte, mas ainda não tive tempo de ler ...

Bom, chega já falei de mais!

Abraço

Rodrigo Chagas
Santo André / SP
rpch@terra.com.br

Karen disse...

Oi, Rodrigo!

Na verdade retirei a imagem do livro de alguma livraria virtual, pois não encontrei nenhuma outra imagem que trouxesse os dois títulos juntos, li a obra em francês, pois meu alemão ainda deixa muito a desejar.

Apesar de já ter lido algo de Goethe, nunca me aprofundei muito e não cheguei a pesquisar quais obras estão disponíveis em português, mas pelo que pude notar, o volume das "Viagens" geralmente é deixado de lado nas traduções, não sei por quê...

Também acho as histórias "pedagógicas" paralelas inseridas no livro um pouco cansativas, mas essa parece ser uma prática comum dos autores da época! rs

Há uma tradução para o português, de "Poesia e Verdade" em dois volumes publicada (se não me engano) pela Unb. Um tipo de autobiografia escrita pelo Goethe. Em inglês, há volumes de cartas trocadas entre ele e Schiller. São interessantes.

Obrigada pelas observações e boas leituras!

Abraços

Anônimo disse...

Só um último comentário: as cartas do Goethe com o Schiller estão publicadas em português pela ed. Nova Alexandria com o nome Goethe e Schiller: Companheiros de viagem, mas acho que já está esgotado...

Obrigado pela pronta resposta, acho que o jeito vai ser procurar a versão em Francês.

Abraço

Rodrigo

Karen disse...

Rodrigo, obrigada pela informação, na época em que fazia pesquisa só encontrei o livro em inglês na faculdade.
O "Poesia e verdade" também já deve estar esgotado, não sei se ele foi reeditado.

Abraços